Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Um Absurdo Sem Fim

06
Nov15

Um Absurdo Sem Fim, O Gap Year: Apresentação

Loís Carvalho
Hey pessoal, 

    Desde já sejam bem vindos ao meu blog "Um Absurdo Sem Fim, O Gap Year". Este blog serve, de certa maneira, para tentar informar as pessoas de algo não muito comum em Portugal, um Gap Year. Muitos denominam-no de ano sabático, pausa nos estudos, perguiça de ir para a universidade, ano de decisão, entre outras denominações. Simplesmente, consiste num ano de pausa nos estudos, sim, mas de crescimento e autoconhecimento. Um ano para tomarmos decisões por nós próprios, para aprendermos como funciona o mundo real, pois muitos de nós vivemos dependentes dos nossos pais durante 18 anos.   
     Muitos devem perguntar-se como é que vim parar a esta situação, mas digo-vos que foi bastante simples chegar aqui. Como qualquer jovem português, completei 3 anos de ensino secundário público português, na ESA ( Escola Secundária de Arganil), na área de ciências e tecnologias. Realizei os quatro exames obrigatórios, no meu caso física e química, biologia e geologia, matemática A e português. Acabei o secundário com uma média bastante boa, sendo que fui considerado um dos melhores alunos da escola. Por infortúnio do destino, quando me candidatei à universidade para o curso que sempre sonhei, medicina, por umas meras décimas não consegui entrar. Nem na 1ª fase, nem na 2ª fase e o desespero que foi aumentando chegou ao fim quando decidi que ia parar. Tenho 18 anos, uma vida pela frente, não é um ano de pausa que vai estragar a minha vida. Tomada a decisão de realizar está pausa, um Gap Year, comecei a pensar no que iria fazer. Fiz então uma lista de preocupações/prioridades :
- Dinheiro: Não queria viver este ano dependente de ninguém. Foi uma decisão minha de o ter, por isso teria de me desenrascar. Arranjar um emprego era uma prioridade muito grande, pois só assim conseguiria ter dinheiro e juntar algum para viajar. 
- Local: O sítio onde cresci e vivia não é muito grande, Arganil. Uma pequena vila do interior, onde, infelizmente, pouco mais que nada se passa. Teria de perceber para onde queria ir. Óbvio que pensei logo na hipótese de ir viver lá fora, mas para começar nada melhor que o nosso país, Portugal. Então a decisão ficou restrita entre a cidade de Coimbra e a nossa capital, Lisboa. Nesse momento ainda mais fácil foi de decidir, Coimbra iria lembrar-me todos os dias que não tinha entrado na universidade e que todos os meus colegas o tinham feito. Lisboa seria a minha próxima casa. 
- O que fazer?: Num ano de pausa não nos podemos resumir a mudar de cidade e trabalhar, existem diversas outras coisas que temos de aproveitar. Então, existem dois grandes focos para este ano: Cultura e Viagens. Aproveitar o máximo da cultura que Lisboa me pode dar, concertos, teatros, exposições, arte urbana, pessoas, cafés e afins e a possibilidade de realizar uma viagem no verão pela Europa. Esse sim é o objetivo final deste ano. Amealhar algum dinheiro para poder viajar por alguns países europeus no verão, mas isso é assunto para outra publicação.
- Escrita: Sempre amei escrever e este ano também quero dedicar algum tempo a essa atividade. É por esse motivo que algumas publicações que podes vir a encontrar neste blog sejam apenas textos que escrevi. 
     Depois de listadas as 4 grandes preocupações/prioridades/objetivos para este ano, meti mãos à obra. Convenci os meus pais a deixarem-me ir para Lisboa, que, apesar de não ter sido fácil, tornou-se um pouco fácil ao saberem que viria viver com o meu padrinho. Apartar desse momento só. Faltavam duas coisas, arrumar as minhas tralhas e pôr-me a caminho. Apó s três semana de vida em Lisboa, neste meu ano de pausa, dou início a este blog sobre o meu Gap Year, onde vos contarei as aventuras que terei, falarei dos sítios que visitarei, do trabalho, da cultura, da comida, alguns conselhos e as viagens que terei. 
      Obrigado por embarcarem nesta aventura comigo! 
                       Do vosso amigo, 
                                 Lois Carvalho 


About me

Lòís Carvalho, 20 anos, Mundo. Existe um sem fim de sítios onde ir, pessoas por conhecer, vidas para viver, sonhos para alcançar, mundos por descobrir.

ver perfil | seguir perfil

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D